sábado, 1 de junho de 2013

Carta Fui enganada e agora?

Apostolo Jorge Castilho Me ajude urgente, a cerca de 8 meses atraz, dei inicio a enviar o meu dizimo para o Projeto Amor Sem fronteiras, incrivel como tudo mudou na minha vida.Prosperei a Passos largos,fui visitar uma certa igreja,e la conversei com o Pastor,ele fez comprar um lencinho e um tijolinho, disse que minha vida seria muito melhor,acreditei parei de enviar o dizimo ao seu projeto , e detalhe acabei fazendo campanha la na igreja, por fim perdi minha casa , meu carrinho que tinha acabado de comprar, e agora estou desesperada me ajude por favor,acho que fui enganada, escutei a voz do inimigo.estou  numa caverna nada da certo para mim, hoje procuro o pastor dessa mesma igreja e ele pede sempre para que eu compre mais tijolinhos e lencinhos cada um a 200 reais , estou desesperada me ajude. devo continuar indo la ? estou perdida não sei o que fazer, antes eu era feliz e nao sabia, ajudei seu projeto com somente 10% e lembro que no inicio o Senhor me disse que eu não era obrigada a nada, hoje la nessa igreja me sinto obrigada, o que devo fazer me ajude estou com medo de cair muito mais. fui engada e agora ?

Solange Pereira Soares .

Brasilia .DF.

  SOLANGE CONTE COM A MINHA AJUDA. JORGE CASTILHO.
Solange fique atenta a voz que fala com voce, e saia dessa caverna. conte comigo estarei orando pela sua vida. mais lembre-se voce deve decidir o caminho que deve tomar.

Nem sempre planejamos as coisas pra que aconteçam exatamente da forma que elas acabam se caracterizando. Os anos vão passando e, às vezes, nem sequer podemos imaginar que a vida estaria como se encontra no momento presente. Por causa disso, quando nos punimos muito pelas circunstâncias da vida, fazemos isso pressupondo que elas podiam ser diferentes. Talvez pudessem, mas não concebemos a vida para que seja assim e, principalmente, não podemos voltar atrás para mudá-las e sim olhar para frente e enfrentá-las, modificando o que for necessário. Então, precisamos reconhecer que as coisas da vida muitas vezes são maiores do que nós e nos pegam de surpresa. A experiência existencial mais crítica é a da perda. Na verdade, quando vivemos a perda, sabemos que é preciso seguir em frente, mas nem sempre conseguimos. Esbarramos no desespero, na solidão, na tristeza de nos sentir estacionados no tempo e espaço. Primeiro, é fundamental reconhecer os nossos limites. Perceber que precisamos de ajuda. Tiago 5:17 diz que há cura quando confessamos o nosso coração. Precisamos de alguém quando não damos conta sozinhos. Infelizmente, tem sido muito difícil encontrar pessoas confiáveis e competentes hoje em dia. Mas, devemos ir ao encontro de alguém para que nos ajude. Em segundo lugar, fomos constituídos por DEUS para absorver as perdas. Senão a vida seria insuportável. DEUS nos fez para sobreviver. Mas o sobreviver de DEUS é absorver a perda e se reorganizar para continuar. Quando não damos conta do que nos abate, absorver fica mais lento e sofrível, o que nos pode levar para o “fundo de uma caverna”. Para evoluir internamente e viver com saúde emocional e espiritual, precisamos sair da “caverna”! O profeta Elias passou por uma experiência muito difícil. Entrou no deserto do desespero e pediu a morte (assim como fazemos). Se não fosse o cuidado de DEUS e sua provisão, Elias teria morrido de fome e sede no deserto. Mas DEUS o sustentou. Quando chegou a um monte procurou uma caverna para se esconder e se abrigar. Ali resolveu conversar com DEUS, ouviu a seguinte pergunta: O que você está fazendo nesta caverna? É uma bela pergunta: Por que é que você ainda está no fundo de uma caverna? Somente você pode decidir sair de uma “caverna” e encarar a vida de novo. Quando saímos temos que enfrentar o fato de que nos acostumamos com aquele jeito de viver. Ficamos muito tempo longe da “luz”, e voltar significa enfrentar os ofuscamentos externos. Vai ser necessário adaptação, mas você conseguirá. Lembre-se: DEUS quer que saia do fundo da caverna, mas Ele não fará isso. Você tem que sair. Contudo, tenho certeza que Ele te ajudará do lado de fora. Dará forças e confiança a você de novo para se adaptar à vida, deixar de ser apenas um sobrevivente e voltar a ser alguém que viva a vida com alegria e prazer.

Jorge Castilho

Um comentário:

Jorge Castilho disse...

Solange fique atenta a voz que fala com voce, e saia dessa caverna. conte comigo estarei orando pela sua vida. mais lembre-se voce deve decidir o caminho que deve tomar.

Nem sempre planejamos as coisas pra que aconteçam exatamente da forma que elas acabam se caracterizando. Os anos vão passando e, às vezes, nem sequer podemos imaginar que a vida estaria como se encontra no momento presente. Por causa disso, quando nos punimos muito pelas circunstâncias da vida, fazemos isso pressupondo que elas podiam ser diferentes. Talvez pudessem, mas não concebemos a vida para que seja assim e, principalmente, não podemos voltar atrás para mudá-las e sim olhar para frente e enfrentá-las, modificando o que for necessário. Então, precisamos reconhecer que as coisas da vida muitas vezes são maiores do que nós e nos pegam de surpresa. A experiência existencial mais crítica é a da perda. Na verdade, quando vivemos a perda, sabemos que é preciso seguir em frente, mas nem sempre conseguimos. Esbarramos no desespero, na solidão, na tristeza de nos sentir estacionados no tempo e espaço. Primeiro, é fundamental reconhecer os nossos limites. Perceber que precisamos de ajuda. Tiago 5:17 diz que há cura quando confessamos o nosso coração. Precisamos de alguém quando não damos conta sozinhos. Infelizmente, tem sido muito difícil encontrar pessoas confiáveis e competentes hoje em dia. Mas, devemos ir ao encontro de alguém para que nos ajude. Em segundo lugar, fomos constituídos por DEUS para absorver as perdas. Senão a vida seria insuportável. DEUS nos fez para sobreviver. Mas o sobreviver de DEUS é absorver a perda e se reorganizar para continuar. Quando não damos conta do que nos abate, absorver fica mais lento e sofrível, o que nos pode levar para o “fundo de uma caverna”. Para evoluir internamente e viver com saúde emocional e espiritual, precisamos sair da “caverna”! O profeta Elias passou por uma experiência muito difícil. Entrou no deserto do desespero e pediu a morte (assim como fazemos). Se não fosse o cuidado de DEUS e sua provisão, Elias teria morrido de fome e sede no deserto. Mas DEUS o sustentou. Quando chegou a um monte procurou uma caverna para se esconder e se abrigar. Ali resolveu conversar com DEUS, ouviu a seguinte pergunta: O que você está fazendo nesta caverna? É uma bela pergunta: Por que é que você ainda está no fundo de uma caverna? Somente você pode decidir sair de uma “caverna” e encarar a vida de novo. Quando saímos temos que enfrentar o fato de que nos acostumamos com aquele jeito de viver. Ficamos muito tempo longe da “luz”, e voltar significa enfrentar os ofuscamentos externos. Vai ser necessário adaptação, mas você conseguirá. Lembre-se: DEUS quer que saia do fundo da caverna, mas Ele não fará isso. Você tem que sair. Contudo, tenho certeza que Ele te ajudará do lado de fora. Dará forças e confiança a você de novo para se adaptar à vida, deixar de ser apenas um sobrevivente e voltar a ser alguém que viva a vida com alegria e prazer.

Jorge Castilho